D.U.F.F.

Autor: Kody Keplinger
Editora: Globo Alt
Ano: 2016
Páginas: 328
Bianca Piper não é a garota mais bonita da escola, mas tem um grupo leal de amigas, é inteligente e não se importa com o que os outros pensam dela (ou ela acha). Ela também é muito esperta para cair na conversa mole de Wesley Rush - o cara bonito, rico e popular da escola - que a apelida de DUFF, sigla em inglês para Designated Ugly Fat Friend, a menos atraente do seu grupo de amigas. Porém a vida de Bianca fora da escola não vai bem e, desesperada por uma distração, ela acaba beijando Wesley. Pior de tudo: ela gosta. Como válvula de escape, Bianca se envolve em uma relação de inimizade colorida com ele. Enquanto o mundo ao seu redor começa a desmoronar, Bianca descobre, aterrorizada, que está se apaixonando pelo garoto que ela odiava mais do que tudo.

Bianca Piper está iniciando o ensino médio, e já começando a se preparar para ingressar em uma faculdade. Ela tem duas melhores amigas, Jessica e Casey, que são lindas e desejadas pelos garotos, mas não se importam, afinal só querem curtir e levar Bianca para as festas, o que ela só faz por causa das amigas.

E foi em uma dessas festas que Wesley Rush, o maior mulherengo do colégio, diz que Bianca é uma D.U.F.F. e por isso ele precisa ser bonzinho com ela para suas amigas saírem com ele.

Depois de ser rotulada com D.U.F.F., Bianca fica paranoica ao tentar descobrir se é verdade, mas depois decide que isso na verdade não importa.

Infelizmente, a aparência é usada pela sociedade para dizer como devemos ser tratados. E durante a adolescência é um pouco pior.

Além desse drama escolar, Bianca, também precisa enfrentar o drama familiar. Sua mãe é uma escritora bem conhecida de livros de autoajuda, e viaja pelo mundo para promover seus livros e dar palestras. Em uma dessas viagens, sua mãe começa demorar um pouco mais para voltar para casa, Bianca desconfia de que tem algo de errado e que seu pai, ex-alcoólatra, se nega a encarar.

Bianca é o tipo de pessoa que sempre diz que está tudo bem, e por isso acaba sendo o porto seguro de todos, mas nunca encontra alguém para ser seu. Já Wesley é exatamente tudo aquilo que esperam que ele seja, e adora isso.

Diversas vezes durante a leitura, Bianca questiona justamente as atitudes de Wesley, e tenta sempre ser sincera consigo mesma.

A autora nós faz pensar sobre todos os rótulos que já recebemos e demos, e o quanto isso pode ser injusto. E é o tipo de livro ideal para qualquer tipo de idade, recomendo  leitura.
assinatura-viviane

Um comentário: