A Coroa da Vingança

Autor: Colleen Houck
Editora: Arqueiro
Ano: 2018
Páginas: 416
Em A Coroa da Vingança, terceira e última aventura da série Deuses do Egito, Colleen Houck nos presenteia com um desfecho tão surpreendente e inspirador quanto o elaborado universo mitológico que criou.Meses após sua pacata vida como herdeira milionária sofrer uma reviravolta e ela embarcar numa vertiginosa jornada pelo Egito, Liliana Young está praticamente de volta à estaca zero.Suas lembranças das aventuras egípcias e, especialmente, de Amon, o príncipe do sol, foram apagadas, e só resta a Lily atribuir os vestígios de estranhos acontecimentos a um sonho exótico. A não ser por um detalhe: duas estranhas vozes em sua mente, que pertencem a uma leoa e uma fada, a convencem de que ela não é mais a mesma e que seu corpo está se preparando para se transformar em outro ser.Enquanto tenta dar sentido a tudo isso, Lily descobre que as forças do mal almejam destruir muito mais que sua sanidade mental – o que está em jogo é o futuro da humanidade.Seth, o obscuro deus do caos, está prestes a se libertar da prisão onde se encontra confinado há milhares de anos, decidido a destruir o mundo e todos os deuses. Para enfrentá-lo de uma vez por todas, Lily se une a Amon e seus dois irmãos nesta terceira e última aventura da série Deuses do Egito.

Nunca escondi de ninguém que meu tornei super fã da Colleen desde A Maldição do Tigre, então quando soube que ela ia escrever uma nova coleção sobre o a mitologia Egípcia fique doida. E agora chegou a hora de me despedir novamente de personagens que me conquistaram desde a primeira página.

Depois da batalha contra a Devoradora em O Coração da Esfinge, Lily voltou ao mundo mortal para a fazenda da sua avó e assim de alguma forma se preparar para as próximas batalhas que viriam contra o Seth. Mas claro que nada seria fácil, pois ninguém contava que Lily voltaria sem lembrança alguma do que aconteceu desde que conheceu os Filhos do Egito. Sua mente estava quebrada, nem mesmo de Amon, com quem ela tinha uma forte ligação, ela conseguia se lembrar, que desespero.

Um belo dia, ao acordar ela percebe que tem alguma coisa errada, e isso só piora ao perceber que dentro da sua mente existe outras duas vozes que não paravam de dizer coisas absurdas, afinal ela se lembraria se tivesse viajado para o Egito certo? Ou lutado ao lado de múmias para salvar o mundo? Ou talvez que ela tinha se tornado uma Esfinge? Afinal que estava acontecendo com ela? A ultima coisa de que se lembra ao acordar essa manhã foi que ela visitou o MET para decidir que faculdade faria.

Lily percebe que situação fica séria quando o grão-vizir, Hassan, chega dizendo que ela precisava treinar suas novas habilidades junto com as meninas que ela dividia o corpo, Tia e Ashleigh, para ficar mais fortes e poderem acordar os Filhos do Egito antes que Seth os encontrem. Não preciso nem dizer que ela pensou que tinha pirado de vez, mas pelo menos tinha a sua vó para dizer também que isso tudo era uma loucura.

Mas com a chegada inesperada da Deusa Néftis, Lily percebe que não tem escapatória, ela precisa fazer tudo aquilo que estão esperando dela, inclusive o que acabou de saber, que ela não esta destinada a ser uma esfinge, é mais que isso, ela precisa aceitar o poder de Wasret e o que ela se tornaria e todas as implicações que isso traria.

Apesar a tristeza de saber que esse é o ultimo livro, eu amei cada pagina, porque se isso é possível, ele superou totalmente as minhas expectativas. Sem duvida alguma, esse foi o melhor livro dessa coleção.

A narração foi feita pelos os pontos de vistas da Lily, Tia e Ashleigh, muitas vezes sem qualquer indicação da mudança do ponto de vista, o que foi bem legal, porque chega em um ponto da leitura, que só o jeito como ela é narrada, já dá para saber quem era, mas também fica muito claro que cada vez mais as três estão se fundindo para se tornar uma única pessoa, Wasret.

Apesar do desfecho que ela deu para alguns personagens, que me partiram o coração, para outros meu deixou com o coração tão leve de alegria, por que chegou bem perto do final que desejei para esses personagens. Ao contrario de A Maldição do Tigre, em A Coroa da Vingança, a Colleen não deixou nenhuma ponta solta, felizmente e infelizmente, pois isso significa que tudo foi esclarecida e também que provavelmente não teremos nenhum spin-off.

Colleen, sei que você nunca vai ler isso, mas muito obrigada, por criar mais esse cenário com personagens maravilhosos que vão deixar muita saudade.

assinatura-viviane







Conheça também os outros livros resenhados da trilogia:

O Despertar do Principe - Deuses do Egito #1 - Colleen Houck 08 - O Coração da Esfinge (Deuses do Egito #2)

Nenhum comentário:

Postar um comentário