Nove Regras a Ignorar Antes de se Apaixonar

LIVRO ENVIADO PELA EDITORA
Autor: Sarah MacLean
Editora: Arqueiro
Ano: 2016
Páginas: 384
A sonhadora Calpúrnia Hartwell sempre fez tudo exatamente como se espera de uma dama. Ainda assim, dez anos depois de ser apresentada à sociedade, ela continua solteira e assistindo sentada enquanto as jovens se divertem nos bailes. Callie trocaria qualquer coisa por uma vida de prazeres.E por que não se arriscar se, aos 28 anos, ela já passou da idade de procurar o príncipe encantado, nunca foi uma beldade e sua reputação já não lhe fará a menor diferença? Sem nada a perder, a moça resolve listar as nove regras sociais que mais deseja quebrar, como beijar alguém apaixonadamente, fumar charuto, beber uísque, jogar em um clube paracavalheiros e dançar todas as músicas de um baile. E depois começa a quebrá-las de fato.Mas desafiar as convenções pode ser muito mais interessante em boa companhia, principalmente se for uma que saiba tudo sobre quebrar regras. E quem melhor que Gabriel St. John, o marquês de Ralston, para acompanhá-la? Afinal, além de charmoso e devastadoramente lindo, ele é um dos mais notórios libertinos de Londres.Contudo, passar tanto tempo na companhia dele pode ser perigoso. Há anos Callie sonha com Gabriel e, se não tiver cuidado, pode acabar quebrando a regra mais importante de todas – a que diz que aqueles que buscam o prazer não devem se apaixonar perdidamente.

Antes de começar eu preciso perguntar alguém sabe por que eu demorei tanto para começar a ler os livros da Sarah MacLean?

Calpúrnia Hartwell, mais conhecida por Callie, tem 28 anos e já faz 10 anos que debutou, e ainda continua solteira.

Mesmo sendo um exemplo e da sua boa posição social, Callie está longe de ser parte do padrão de beleza da época, ao contrario da sua irmã, Callie é considerada sem graça e desinteressante.

Ao perceber que cresceu presas as regras sociais e que isso não a ajudou em nada, apenas mais “prisão”. Callie resolve criar uma lista de coisas que gostaria de fazer, regras que gostaria de quebrar, para simplesmente se divertir, afinal, conseguir um marido, ao que tudo indicava, nunca aconteceria mesmo e manter a sua reputação já não estava lhe trazendo nenhuma vantagem.

Nesse interim, o marquês de Ralston, o maior libertino de Londres, descobre ter uma meia-irmã, Juliana, por parte de mãe, a qual abandou sua primeira família quando ele e seu irmão gêmeo, ainda eram crianças, assim partindo o coração de duas crianças inocentes e de seu pai.

Uma vez que Juliana não pertence à nobreza, ao contrario de seus irmãos, ela precisará ser apresentada a sociedade, e Gabriel precisa encontrar alguém de boa reputação que esteja disposta a apadrinhar Juliana e assim garantir que ela não seja rejeitada pela sociedade pela sua posição inferior.

E é nesse momento que o destino resolve se envolver e promover um novo encontro entre Callie e Gabriel, onde um acordo acontecerá e que mudará a vida dos dois.

A narrativa desse livro é feita em terceira pessoa, intercalando entre Callie e Gabriel. Mas independente da perspectiva a história e envolvente e fácil.

Mas o que mais me fascinou, foi a questão de Callie se impor a alguns desafios, que para nós hoje pode não ser nada, mas que para ela era tudo. E o quanto isso a ajudou a se autodescobrir.

Sem contar o toque de feminismo da história, onde Callie percebe os privilégios que o homens tem na sociedade por simplesmente serem homens e se sentir prejudicada pelas regras impostas as mulheres, ao mesmo tempo desejar poder fazer as mesmas coisas que os homens, e assim criando a sua lista.

Eu amei o livro, a forma de escrita da Sarah e não vejo a hora de poder ler os outros livros da coleção.

AVALIAÇÃO:

Um comentário:

  1. Oii!
    Faz tempo que vejo todos lendo esse livro, e ele aparece em todos os blogs que acompanho... Não costumo ler romances de época, mas fico pensando em me distrair com eles, já que a história parece ser bem levinha!
    Beijos, Bel
    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir