Fevereiro

Autor: Audrey Carlan
Editora: Verus
Ano: 2016
Páginas: 135
Ela precisava de dinheiro. E nem sabia que gostava tanto de sexo. O fenômeno editorial do ano e best-seller do New York Times, USA Today e Wall Street JournalMia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato.A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil.
Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser...
Em fevereiro, Mia vai passar o mês em Seattle com Alec Dubois, um excêntrico artista francês. No papel de musa, ela vai embarcar em uma jornada de descobertas sexuais e lições sobre o amor e a vida que permanecerão com ela para sempre.

Depois de completar seu primeiro mês como acompanhante de luxo de Wes, tempo esse que vimos surgir um forte sentimento entre eles. Wes, no final se ofereceu para pagar a divida do pai de Mia e assim ela poderia abandonar essa vida e viver com ele. Mas ela recusou a oferta e embarcou para Seattle, onde o seu cliente de Fevereiro, Alec Dubois, um artista francês está esperando.

Já no primeiro dia, Mia causa uma confusão enorme, ao chegar e tropeçar em um fio do estúdio e cair, arruinando uma pintura e de quebra torcendo o tornozelo. Com a certeza de que Alec vai desistir do contrato, a surpresa é enorme ao perceber que além de não desistir, ele está mais fascinado que antes.

É então que Mia descobre como deverá desempenhar o seu papel pelo qual foi contratada. Ela sabia que seria a musa inspiradora para o novo projeto artístico de Alec, mas não como aconteceria, e isso começa a ficar claro quando ele não fornece as roupas para que ela use, uma exigência do contrato, porque para ela ser a sua musa, deverá ficar nua o tempo inteiro. E achando que o interesse de Alec está além de sua obra, Mia começa demonstrar o desejo de ir para cama com ele, e acaba frustrada.

Nervosa com o rumo das coisas, Mia não consegue se segurar e acaba fazendo comparações com Wes, mas isso não dura muito, pois com o decorrer do tempo, o envolvimento dos dois vai se aprofundando e os dois acabam se soltando e criando uma cumplicidade. E no meio disso, Mia acaba se surpreendendo com o quanto está aprendendo com Alec.

O livro anterior me conquistou, então estava ansiosa para ler esse segundo, com algumas expectativas que, infelizmente, não foram alcançadas.

Nesse segundo livro, Mia está bem diferente, antes ela era determinada e deixava bem claro quais eram os seus valores, agora ela perdeu isso, e esta submissa demais, um exemplo, é que apesar de achar as atitudes de Alec irritantes, era só ele destacar o sotaque francês que ela já se derretia e rendia a ele.

Outra coisa que desapontou foi que no primeiro a autora tinha dado um foco no relacionamento entre Mia e o cliente, e o sexo, um dos requisitos para esse tipo de leitura, tinha se tornado algo natural, já nesse livro, eu achei forçado, pois além de ter muito mais cenas de sexo, a relação entre ela e o cliente ficou de lado. Às vezes achava Alec um pouco abusivo, e Mia nem se incomodava com isso.

Mas nem tudo foi perdido, achei muito legal a forma com a autora detalhou as pinturas de Alec, foi tão rico em detalhes que conseguia facilmente visualizar elas na minha frente.

O final também salvou um pouco, pois Mia finalmente vai poder voltar para casa e visitar seu pai, sua irmã e sua melhor amiga. Além do encontro com Blaine, o responsável por ela ter ser tornado uma acompanhante de luxo.

Agora que ver que vai acontecer com Mia em Março, quando encontrara seu próximo cliente em Chicago.

AVALIAÇÃO

Nenhum comentário:

Postar um comentário