O Visconde que Me Amava

LIVRO DISPONIBILIZADO PELA EDITORA PARA RESENHA
Autor: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Ano: 2013
Páginas: 304
O Visconde Que Me Amava - A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva.Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela.Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele.Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração.

Esse é o segundo livro da série Os Bridgerton e assim como no primeiro livro O Duque e Eu, onde a história era sobre a Daphne Bridgerton, a quarta filha de Violet. Nesse segundo livro vamos embarcar na historia de Anthony o primogênito da família.

Depois de vemos o final feliz para o libertino Duque de Hastings, Simon com a Daphne Bridgerton, restava apenas mais um libertino em Londres, e esse é o Visconde Anthony Bridgerton.

Anthony, que passou a ser o chefe de família aos 18 anos, quando seu pai falecera, finalmente aos 30 decidiu que era o momento de se casar, uma vez que ele acreditava que tinha pouco tempo de vida...

Ele era assombrado pela morte prematura de seu pai e achava que o mesmo aconteceria com ele. Por isso, ele acreditava que tinha apenas 8 anos para  encontrar a moça perfeita para se casar e providenciar um herdeiro. Mas ela tinha uma única condição, ele não poderia se apaixonar por ela, pois seria mais fácil quando a hora chegasse.

Sendo assim, ele escolheu para cortejar o diamante da temporada, Edwina. A mais nova da família Sheffield, composta por ela, sua irmã mais velha, Katherine e sua mãe e viúva Mary.

Edwina correspondia a todas as expectativas de Anthony, era educada, inteligente, bela e o mais importante, ele nunca a amaria. Mas claro tinha um problema, para corteja-la ele teria que ter a aprovação de Kate.

Kate sabia muito bem da má fama de Anthony, pelo menos tudo o que era falado nas crônicas da Lady Whistledown. E por isso ela jamais permitiria que Anthony se casasse com sua irmã.

E assim se desenrola a história, parecendo uma briga entre cão e gato, pois Kate não tem papas na língua e Anthony a acha a pessoa mais irritante da face da terra. E claro que entre muitos “bate bocas” não poderia deixar de surgir faíscas e alguma atração entre eles.

Então mais uma vez a autora conseguiu me conquistar com uma leitura leve, engraça e totalmente envolvente, principalmente nessa fase que estava passando onde não tinha animo para ler nada.

A superação dos medos que os protagonistas enfrentam, é um dos pontos chave da historia, e de alguma forma nos deixa um pequeno ensinamento.

E claro adorei pode conhecer um pouco mais de outro membro de enorme família. E não vejo a hora de ler mais um livro dessa coleção.

assinatura-viviane

Nenhum comentário:

Postar um comentário