Coroa da Meia-Noite


Autor: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Ano: 2014
Páginas: 406
Coroa da Meia-Noite - Celaena Sardothien, a melhor assassina de Adarlan, tornou-se a assassina real depois de vencer a competição do rei e se livrar da escravidão das Minas de Sal de Endovier. Mas sua lealdade nunca esteve com a coroa. Tudo o que deseja é ser livre — e fazer justiça. Nos arredores do castelo, surgem rumores a respeito de uma conspiração contra misteriosos planos do rei, mas antes de cuidar dos traidores, Celaena quer descobrir exatamente que planos são esses. O que ela não imaginava é que acabaria em meio a uma perigosa trama de segredos e traições tecida ao redor da coroa. Enquanto a amizade entre ela e o capitão Westfall cresce cada vez mais, o príncipe Dorian se afasta, imerso em seus próprios dilemas e descobertas.A princesa Nehemia acaba se tornando uma conselheira e confidente, mas sua atenção está mais voltada para outros assuntos. Em Adarlan, um segredo parece se esconder por trás de cada porta trancada, e Celaena está determinada a desvendar todos eles para proteger aqueles que aprendeu a amar. Mas o tempo é curto, e as ameaças ao redor castelo de vidro estão cada vez mais próximas. Quando menos se espera, uma trágica noite mudará a vida de todos no reino, e mais do que nunca Celaena quer descobrir a verdade para fazer justiça.

CUIDADO ESTA RESENHA PODE CONTER SPOILERS DE TRONO DE VIDRO

Depois do final tumultuado do torneio para escolher o Campeão do Rei, que Celaena venceu. Agora ela é a assassina oficial de Adarlan. E é uma das suas missões que começamos a leitura.

Como se não bastasse ter que matar todos que o Rei de Adarlan manda, a melhor amiga de Celaena, Nehemia, princesa de Eylwee, quer que ela ajude a libertar todos os escravos de Endovier e Callaculla, agora que ela tem uma posição de “confiança” no reino, mas Celaena, não quer tomar partido nessa briga politica, com medo de perder a sua liberdade ou de acaba prejudicando algum de seus amigos.

Mas claro que nem tudo é drama. Chaol Westfall, capitão da guarda real, é quem tem dado os momentos de felicidade em meio a esse drama todo para Celaena. Em um determinado momento, ele ultrapassou a linha da amizade para algo mais, criando um casal fofo na historia. Mas existe o peso da “profissão” dos dois. E isso futuramente vai atrapalhar bastante o relacionamento deles.

As coisas começam a dar errado, quando Celaena recebe o nome do seu próximo alvo, Archer Finn, o famoso cortesão de Forte da Fenda, que ajudou a treinar Celaena quando criança, e que de alguma forma faz parte do novo movimento rebelde para destronar o Rei de Adarlan.

Celaena acredita que Archer seja inocente, e pede um prazo maior ao Rei, para bolar uma morte de mentira e conseguir mais informações sobre esse movimento. Mas ela não sabia o tamanho da encrenca que iria se meter.

A expectativa para esse livro estava enorme, e não me decepcionei. O ritmo de Trono de Vidro foi mantido, o que já é um ponto positivo. Como foco um pouco mais amplo, já podemos ver algum plano bolado pela autora acontecendo, e já podemos fazer suposições para o rumo da história.

Podemos também ver a evolução dos personagens. Conhecemos um pouco mais do passado de Celaena, o que ajuda e explicar muita coisa. Chaol e Dorian, que em Trono de Vidro não tinha tanto destaque, nesse recebem o seu holofote, já que além do ponto de vista de Celaena, também temos dos dois.

O triangulo amoroso que começou a ser insinuado em Trono de Vidro, acaba sendo desenvolvido agora, mas sem toda aquela coisa melosa e mimi que vemos em muitos triângulos.

E claro que não podia deixar de falar da revelação no final que me deixou desesperada pela continuação.

Então mais uma vez, se você ainda não leu os livros, não perca mais tempo. Pois essa série ainda promete muito.

assinatura-viviane

Nenhum comentário:

Postar um comentário