Insurgente


Autor: Veronica Roth
Editora: Rocco
Ano: 2013
Páginas: 373
Insurgente - Na Chicago futurista criada por Veronica Roth em Divergente, as facções estão desmoronando. E Beatrice Prior tem que arcar com as consequências de suas escolhas. Em Insurgente, a aguardada continuação da série de distopia que se tornou o novo fenômeno do disputado mercado Young Adult após Jogos Vorazes, a jovem Tris tenta salvar aqueles que ama – e a própria vida – enquanto lida com questões como mágoa e perdão, identidade e lealdade, política e amor. Com mais de 2,5 milhões de exemplares vendidos, Divergente é a próxima grande franquia da Lionsgate nos cinemas, com estreia prevista para março de 2014.A bem-sucedida trilogia de Veronica Roth é um best-seller da Veja.Sobre o AutorVeronica Roth é uma autora de sucesso internacional. Divergente, o primeiro título desta trilogia, alcançou o primeiro lugar dos mais vendidos do New York Times. Atualmente, ela mora em Chicago, nos Estados Unidos.

CUIDADO ESTA RESENHA PODE CONTER SPOILER DO PRIMEIRO LIVRO “DIVERGENTE

Depois do final nada tranquilo de Divergente, Tris está muito abalada, sempre analisando suas atitudes e sentimentos e guardando tudo para si. A menina magricela e de certa forma corajosa, deixa de existir e fica só a garota traumatizada.

A Sociedade que todos conhecem está a uma gota de virar uma guerra e ser destruída, e Tris não sabe mais em quem confiar, já que algumas pessoas bem próximas de si acabaram mostrando que não são tão confiáveis.

A situação chega a tal ponto que Tris não quer mais lutar pela própria vida, ela só que deixar tudo para trás, até que surge um boato de uma verdade, que desencadeou tudo o que está acontecendo, e a curiosidade é maior que a vontade de desistir de tudo.

Nesse segundo livro temos tanta ação quanto o primeiro, situações que nos deixam totalmente sem folego, mas com uma nova conotação, agora não é um treinamento para entrar na facção, isso tudo é real.

A fase de luto da Tris no inicio do livro, quando ela fica se culpando por tudo o que aconteceu é totalmente compreensível e descrito na medida certe, sem ser cansativo ou irritante, pois fica muito claro os motivos e levaram ela a agir dessa forma.

Quatro é um dos personagens que ganha muito destaque nesse segundo livro, ele está mais solto, e passamos a conhecer o outro lado dele que não é apresentado no primeiro livro.

Em Divergente, temos apesar de toda a tensão e ação, um pouco de romance para deixar tudo mais leve, agora em Insurgente, isso praticamente não existe.

Outro ponto a favor desse segundo livro, é que algumas perguntas já começam a ser respondidas, não de forma tão clara, mas já é um começo. Já podemos entender o porquê das facções e o papel dos Divergentes em tudo isso.

Já iniciei a leitura do terceiro e ultimo livro Convergente, e já recebi um spoiler enorme que me desanimou, mas a curiosidade é maior então logo-logo teremos a resenha dele aqui.

assinatura-viviane

Um comentário:

  1. Olá,já li esse livro,na verdade a saga toda,e sou completamente apaixonada por essa saga.
    Amei seu blog,muito lindo. Seguindo ;*

    ResponderExcluir