Os Três


Autor: Sarah Lotz
Editora: Arqueiro
Ano: 2014
Páginas: 391
Quinta-Feira Negra. O dia que nunca será esquecido. O dia em que quatro aviões caem, quase no mesmo instante, em quatro pontos diferentes do mundo. Há apenas quatro sobreviventes. Três são crianças. Elas emergem dos destroços aparentemente ilesas, mas sofreram uma transformação. A quarta pessoa é Pamela May Donald, que só vive tempo suficiente para deixar um alerta em seu celular: Eles estão aqui. O menino. O menino, vigiem o menino, vigiem as pessoas mortas, ah, meu Deus, elas são tantas... Estão vindo me pegar agora. Vamos todos embora logo. Todos nós. Pastor Len, avise a eles que o menino, não é para ele... Essa mensagem irá mudar completamente o mundo.

Bom antes de iniciar a resenha, gostaria de dar uma pequena explicação...

Um dos principais motivos que me fez escolher esse livro foi a linda capa, que como podem ver é bem chamativa. A sinopse também me chamou a atenção, afinal quais as chances disso acontecer?!?! Então assim que o livro chegou, terminei correndo o livro que estava lendo e, claro, o coloquei no topo da minha lista de leituras. Só que eu não previa que iria levar quase um mês para ler ele, e vou tentar explicar o porquê.

Tudo começa com Pamela May Donald, uma senhora, que aparentemente é bem religiosa, e que estava em viagem para o Japão para reencontrar sua filha. Durante o voo, algo acontece e o avião inicia uma queda ao nada, e por coincidência junto com outros três aviões.

Quando Pamela percebe, ela está no meio dos destroços do avião, no meio de uma floresta, com muitas mortes ao redor, menos um garoto, que era justamente o que estava sentado a sua frente no avião. Por algum milagre, ele não tem nenhum arranhão, ao contrario dela, que aos poucos vai sentindo sua vida ir embora.

Então em ato de desespero, ela grava uma mensagem no celular, no exato momento que ela vê sombras e vultos se aproximando do garoto. E é essa mensagem que ai causar todo furdunço e pânico no mundo.
“Eles estão aqui. Eu…Não deixe a Sookie comer chocolate, é veneno para os cachorros, ela vai implorar a você… O menino. O menino, vigiem o menino, vigiem as pessoas mortas, ah meu Deus, elas são tantas… Estão vindo me pegar agora. Vamos todos embora logo. Todos nós. Tchau, Joanie, adorei a bolsa, Tchau Joanie, pastor Len, avise a eles que o menino, não é para ele…” - Últimas palavras de Pamela May Donald (1961 - 2012).”

Então começam a surgir teorias de conspirações, de invasão alienígena e sobre o fim do mundo.

Vendo assim, parece ser uma história fantástica né?!?! Pois é, ela bem que poderia ser. Talvez, se escrita de outra forma.

A ideia de deixar todos curiosos para saber mais sobre as crianças sobreviventes funcionou porque eu passei o livro todo, tentando entender as ações delas, e como elas ficaram daquele jeito, o que poderia ter acontecido no acidente, mas infelizmente foram perguntas que meio que foram respondidas no final, pois dá a entender o que aconteceu, mas sem nenhuma certeza.

Isso considerando que o livro fosse para ser de suspense, apesar de ter um fundinho de sobrenatural e religioso.

O livro que a principio eu achei que seria narrado de forma corrida e do ponto de vista de algum personagem, na verdade é o resultado de um dossiê investigativo, que tem os relatos, entrevistas, transcrições, e-mails de diversas pessoas que de alguma forma estavam envolvidas com os quatro acidentes, seja parentes, amigos próximos, terceiros, enfim. Que em algum momento se cruzam.

Era tanta gente, que chegou ao ponto de não saber mais quem era quem, e sobre quem falavam, talvez se a autora tivesse organizado de outra forma, teria sido mais esclarecedor.

Em resumo, eu não curti muito essa leitura, infelizmente, pois ela tinha tudo para ser maravilhosa. Mas imagino que talvez tenha sido eu que depositei muito expectativa, pois vi muitas resenhas positivas que chegaram até a dá 5 estrelas. A capa é linda, como já falei, com a diagramação perfeita da editora, e como pequeno detalhe das bordas das folhas em preto, e imagino que por isso, acabaram tirando a orelha do livro, o que de certa forma me incomodou.

Mas enfim, considerando as muitas resenhas positivas, sugiro que cada um leia e tire as suas próprias conclusões, e depois me diga o que acharam???

assinatura-viviane

5 comentários:

  1. Acho que a narrativa atrapalha um pouco o livro. É uma pena, pois a premissa é muito boa.

    ResponderExcluir
  2. Oi Vivi, tudo bom?
    Ah, eu ganhei esse livro :33333333 Eu amo a capa dele, o trabalho de edição, e ouvi muitas resenhas positivas sobre ele. Infelizmente você não curtiu muito, nem a Fê, mas eu espero gostar, estou bem ansiosa!
    Beijão
    http://www.sarahmarques.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oiiiiiiiiiiiiii
    miga eu achei esse livro muito bonito, além da lateral dele ser preta né?!
    Não sabia que a historia era contada dessa maneira, também pensei que fosse narrado por alguem... UM alguém! hahahaha

    Mas mesmo assim estou curiosa nele!

    Beijinhos
    Sou eu... Pri!

    ResponderExcluir
  4. Que pena que não gostou, Vivi! É mesmo triste quando estamos com altas expectativas sobre um livro e, no final, acabamos não aproveitando a leitura, né?
    Eu também não imaginava que o livro seria resultado de um dossiê investigativo, talvez por isso que a leitura não flua tãão bem.
    Mesmo assim, fiquei curiosa para ler! Espero que tenha opinião diferente da sua!
    Beijos,
    Déia
    www.ownmine.com.br

    ResponderExcluir
  5. Eu li tantas resenhas contraditórias a respeito desse livro que nem sei mais o que pensar! Pessoas que adoraram e outras que, como você, não curtiram! A capa é realmente linda e a sinopse me chamou muita atenção! Já sei que não vou ler por agora!
    Beijos
    www.infinitoslivros.com

    ResponderExcluir