Entrevistando um Autor(a) - Mila Wander


Olá Devoradores!
Já fazia um tempo que não compartilhava com vocês uma entrevista né.
Pois bem, hoje será com a autora nossa parceira Mila Wander.
O primeiro livro dela foi resenhado aqui no blog, se chama Meu Conselheiro de Luz, confira a resenha clicando aqui.
Vamos conferir?!?!

 
1) Conte um pouco sobre a sua história, sua carreira...
Meu nome é Mila Wander, tenho 24 anos e sou formada em Pedagogia. Nasci e moro em Recife, adoro a minha cidade. Faço pós-graduação em Educação e Ludicidade para o desenvolvimento humano. Além disso, sou maquiadora profissional formada pelo SENAC e escritora. Meu maior desejo é viver das duas artes pelas quais sou apaixonada: a maquiagem e a escrita. Meu primeiro livro publicado chama-se “Meu Conselheiro de Luz”, editora Novo Século.

2) Quais foram às fontes inspiratórias para que você iniciasse a carreira como escritora?
Escrevo desde que era adolescente, sempre adorei. Escrevia composições, poemas, poesias e crônicas. Minha inspiração sempre veio das minhas leituras. As histórias que leio me ajudam a criar minhas próprias histórias e, quando vejo o resultado dos meus devaneios no papel, sinto que isso é algo que nasci para fazer.

3) Como é o seu processo de criação de uma história?
A ideia simplesmente surge na minha cabeça e o que eu devo fazer é apenas abrir um arquivo em branco no Word. O restante simplesmente acontece. Quando começo a escrever um livro, fico tão compenetrada que quase não penso mais em outra coisa além dele. É mito achar que o autor já sabe tudo sobre o que vai escrever antes de fazê-lo. Posso dizer, com convicção, que não tenho noção do que irei escrever em seguida. O bom disso é que minhas ideias nunca me deixam na mão. Elas sempre aparecem, e dou graças a Deus por isso.

4) Há planos para lançar os livros fora do Brasil?
Tenho muitos planos para o futuro, mas, por enquanto, a maioria deles não passa de sonhos. Todo autor gostaria de ter seu trabalho reconhecido internacionalmente, mas considero difícil por causa do pouco incentivo de nossas editoras. Mas nada é impossível, e claro, sonho muito alto.  É assim que as coisas boas começam, não é mesmo?

5) Quando e como você teve a ideia de escrever um livro?
Olha, a ideia de escrever “Meu Conselheiro de Luz” veio em um belo dia na livraria cultura daqui de Recife. Estava pensando em uma boa história e, entre os livros, acabei encontrando-a. Já “Diário de uma cúmplice” é baseado em um sonho que tive há muitos anos atrás.  “Trocando os pólos” simplesmente surgiu na minha cabeça e pronto. Acho que não tem um momento certo nem hora ideal para se ter uma boa ideia.

6) Os personagens costumam ser baseados em pessoas que você conhece?
Alguns sim, mas a maioria é criada mesmo. Às vezes faço uma mistura de personalidades de pessoas que já conheço e desenvolvo um personagem a partir dessa junção. Não tenho um critério definido, as coisas simplesmente vão acontecendo. É como se cada personagem se apresentasse para mim proveniente de um lugar bem distante da minha mente.

7) Você sempre conta histórias para o seu filho e/ou outras crianças?
Não tenho filhos, mas contava algumas histórias para minha irmã mais nova. Ela criou gosto pela leitura através da minha mania de pegar livros na biblioteca. Uma vez comecei a ler em voz alta e ela adorou. Até hoje é apaixonada por livros.

8) De onde surgem suas ideias?
Sonhos, pensamentos, devaneios... Só Deus pode responder esta pergunta com certeza!

9) Qual foi seu livro preferido, quando era criança?
Gostava muito de “Confissões de um vira-lata” e “Firme como bóia”.

10) Como você tem divulgado o livro?
Através do facebook, sorteios, blogs literários, skoob... Enfim, vou fazendo o que posso. É muito complicado divulgar livros!

11) Como é que surgiu o título?
Terminei de escrever “Meu Conselheiro de Luz” e não fazia ideia de um título para ele. Demorei pacas e pedi ajuda a minha irmã e ao meu namorado, mas não funcionou. Depois de alguns dias tive a ideia do nome e decidi deixar. Quem lê a obra vai perceber que escolhi certo!

12) Quais as suas maiores referências literárias?
Gosto muito das obras da Agatha Christie, André Vianco, Dan Brown, Meg Cabot... Sou muito eclética em relação a livros, então digamos que minhas referências são bem vastas!

13) Qual a mensagem você deixaria para os novos autores?
Que não desistam de seus sonhos e sigam em frente com a carreira. É complicado, requer tempo, dinheiro, paciência e persistência. Mas vale muito a pena! Busque experiência, aprenda consigo mesmo e com os outros... Estude bastante. Escrever é estudar!

Nossa gente foi só eu, ou mais alguém curtiu essa reportagem?!?!
E você? Se pudesse o que perguntaria para Mila?

Um comentário:

  1. Adorei a entrevista. A Mila parece ser mt simpática. Muito sucesso para ela e o "Meu Conselheiro de Luz"

    beijos
    Kel
    porumaboaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir